segunda-feira, 11 de junho de 2007

NÃO MAIS...

Eu chorava, e já não chora mais,
Eu amava, e já não amo mais,
Eu sorria, e já não sorrio mais,
Eu vivia, e já não vivo mais,
Eu pulava, e já não pulo mais,
Eu cantava, e já não canto mais,
Eu gritava, e já não grito mais,
Eu odiava, e já não odeio mais,
Eu fazia, e já não faço mais,
Eu corria, e já não corro mais,
Eu gostava, e já não gosto mais,
Eu estava, e já não estou mais,
Eu era, e já não sou mais,
Não mais...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

VAGABUNDO...

O que é a vida,
Quando não se pode amar,
O que é o mundo,
Quando a felicidade não se consegue encontrar.
O que sou em meio ao mundo,
Onde alguns caminham em vão,
O que é o amor quando só se encontra ilusão.
Sou apenas um pássaro,
No céu a voar,
Sou peregrino no mundo,
Que não sabe o que é amar.
Qual é a razão
De existir?
Que futuro tenho,
Senão consigo fazê-la sorrir?
O que sou
E o que serei?
Se pra sempre, calado,
A amarei?
O que faço
Se não posso amá-la?
Sofrerei...
Pois não consigo dos meus sonhos tirá-la.
Sou vagabundo,
A vagar na solidão,
Sou inútil poeta,
Pois não consegui conquistar seu coração.
Eu queria tanto,
Poder amá-la e ser feliz,
Coitado de mim,
Pois do amor sou aprendiz.
Sou vagabundo,
Por amá-la demais,
sonhei tanto com ela,
e hoje já não tenho paz.
Não sei até quando,
Vou amá-la sem parar,
Não sei até quando,
Com ela vou sonhar.
Talvez eu ame-a,
Infinitamente,
Tudo se passou,
E acabou tão de repente.
Acabou e passou-se,
A esperança,
De viver o amor por ela,
Que sonho desde criança,
Sou vagabundo,
Vagabundo de verdade,
Peregrino na solidão,
Peregrino na saudade...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/