segunda-feira, 11 de junho de 2007

VAGABUNDO...

O que é a vida,
Quando não se pode amar,
O que é o mundo,
Quando a felicidade não se consegue encontrar.
O que sou em meio ao mundo,
Onde alguns caminham em vão,
O que é o amor quando só se encontra ilusão.
Sou apenas um pássaro,
No céu a voar,
Sou peregrino no mundo,
Que não sabe o que é amar.
Qual é a razão
De existir?
Que futuro tenho,
Senão consigo fazê-la sorrir?
O que sou
E o que serei?
Se pra sempre, calado,
A amarei?
O que faço
Se não posso amá-la?
Sofrerei...
Pois não consigo dos meus sonhos tirá-la.
Sou vagabundo,
A vagar na solidão,
Sou inútil poeta,
Pois não consegui conquistar seu coração.
Eu queria tanto,
Poder amá-la e ser feliz,
Coitado de mim,
Pois do amor sou aprendiz.
Sou vagabundo,
Por amá-la demais,
sonhei tanto com ela,
e hoje já não tenho paz.
Não sei até quando,
Vou amá-la sem parar,
Não sei até quando,
Com ela vou sonhar.
Talvez eu ame-a,
Infinitamente,
Tudo se passou,
E acabou tão de repente.
Acabou e passou-se,
A esperança,
De viver o amor por ela,
Que sonho desde criança,
Sou vagabundo,
Vagabundo de verdade,
Peregrino na solidão,
Peregrino na saudade...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá Oziel. Me identifico com suas palavras, são lindas, e tristes também. Eu já fui sua amiga, talvez não se lembre de mim. Sei que é difícil se lembrar, pois você deve ter muitos amigos do passado. Agora estou longe de você , literalmente. Mas decidir escrever aqui para dizer que ainda me lembro de você (e as vezes sonho com você) e que te desejo tudo de bom.

Anônimo disse...

nossa que superperfeito.. ameiii sz

sua fã com todas as letras..

Anônimo disse...

nossa. perfeito de mas. a cada leitura mas me encanto e mais qero ler. sucesso oziel soares..