terça-feira, 12 de agosto de 2008

ESPERANÇA (Acróstico)

(Acróstico escrito para minha amiga Sarha, as iniciais formam o nome dela completo)

Sem ninguém para conversar,
A tristeza não me deixa em nada acreditar,
Rostos de esperança ficaram em mim,
Hoje, eu não sei por que tem que ser assim,
Ainda estamos sós, e o medo não tem fim.

Janelas e portas entreabertas,
Havendo o que há, tantas coisas incertas,
Estes são reflexos do mundo de nossos sentimentos,
Rumores do que há em nossos pensamentos
Sonhos que não realizaram-se ainda estão aqui dentro,
Yes-sim, há sonhos que as pessoas matarão,
Keepers-donos do universo elas não são,
A gente tem que lutar para salvar nosso coração.

Muitas vezes nós não entendemos a vida,
E choramos por não vermos saída,
Não vemos que sempre há esperança,
De voltarmos a ter os sonhos de criança,
E não entendemos onde está a alegria,
Somente nos perguntamos: “Quem nunca chorou um dia?”,

Lagrimas rolam e caem no chão,
Instantes ficaram na recordação,
Rios da vida, mas ainda há trevas luz,
Alguém por nós morreu um dia, seu nome: JESUS.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

Nenhum comentário: