terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

ESCOTISMO


(Dedico à todos aqueles que se dizem ou se disseram escoteiros)

Das cores da natureza,
Das flores sem perfume,
Das coisas sem beleza,
De uma faca sem gume.

Das coisas impossíveis,
Doutras sem valor,
Realidades invisíveis,
De um mundo sem amor.

Disso tudo,
Encontrei algo especial,
Passei a ver diferente o mundo,
Vi que sonho pode ser real.

Aprendi a amar o ser humano,
A falar somente a verdade,
Gostar de minha família tanto,
Descobri o sentido da felicidade.

Aprendi a cumprir deveres,
Para com a Pátria e Deus,
Ajudar estes ou aqueles,
Exigir os direitos meus.

Ganhei forças pra lutar,
Coragem pra seguir em frente,
Pra querer esse mundo mudar,
E o futuro ser tão diferente.

Dos amores trago feridas,
Do mundo a tristeza de uma criança,
Dos outros uma alma mutilada e partida,
Do escotismo? A esperança.

Não se farei o suficiente,
Espero fazer o importante,
E ainda que pra toda essa gente,
Haja a certeza de um horizonte.

Não sou super-homem,
Nem tão pouco o serei,
Mas aqui, onde a miséria tudo consome,
Na pirâmide da vida, um tijolo eu deixarei,
Não quero que esteja meu nome,
Somente escotismo, a escola da vida que estudei...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

3 comentários:

lucas disse...

sou escoteiro também...
equipe bonita e gostosa de ser...

osvaldo disse...

Prezado amigo,
Parabens pelo blog. Achei muito bom seu poema. Tambem tenho um blog - http://vado1941.blogspot.com. Faço artigos sobre escotismo semanalmente. Como tenho uma pagina de poesias e poemas, se autorizar publicarei lá o seu. Visite e se concordar me mande um email elioso@terra.com.br.
Abraços
Chefe Osvaldo

rosypepper.blogspot disse...

LINDA POESIA
UM APERTO DE MÃO CANHOTA