quinta-feira, 16 de setembro de 2010

AINDA É TARDE?


Me diz se já é tarde,
Pra talvez voltar atrás,
Me diz que dores eu não guarde,
Me diz pra não chorar nunca mais,
Que o passado não se apague,
Que o agora, agora não se faz.

Se já é tarde pra temer,
Ter medo de se ferir,
Se eu não conseguir lhe entender,
Perdoe-me se eu não estiver ai,
Quando me quiser você,
Eu já terei que partir.

Quando eu for embora,
Você verá que era cedo,
E pensar que agora,
Ainda levo um segredo:
"Todas os segundos e horas,
De te perder eu tenho medo."

Se não sou perfeito,
Isso não importa!
Pra mudar tem jeito?
Então me mostra,
No centro de meu peito,
Bate um coração que de ti tanto gosta.

Eu talvez não precise,
Na verdade, de você,
E você não se decide,
Eu te fiz importante em meu viver,
E por que você insiste?
Se não consegue me entender?

Se preciso me esqueça,
Se necessário me apague,
Talvez eu não te mereça,
Somente não me aguarde,
Talvez eu não apareça,
Aquela carta, se quiser rasgue.

Rasgue! Apague meus sentimentos,
Isso não tem importância,
É só o que tinha aqui dentro,
Minhas atitudes ainda são de criança,
Deixe que me leve o vento,
Deixa, minha eterna infância.

Se não tenho esse rancor,
Se eu tenho medo do amanhã,
Eu prefiro o agora, amor!
Eu não vivo coisas vãs,
Eu guardo aquela flor,
Eu da vida? Sou eterno fã!

É tarde ainda? Me diz!
Será que não é verdade?
É melhor lutar pra ser hoje feliz,
Do que sonhar e não ser realidade,
Tudo que a gente sempre quis,
E amanhã ser eu, sozinho, e a saudade?...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/