Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

TUDO DEPENDIA DE VOCÊ...

Por que você fingiu?
Dizendo que me amava?
Se os filmes que a gente viu,
Você até mesmo comigo chorava.

Pra quê insistiu tanto?
Se já nem me queria mais?
Não queria ver meu pranto?
E por que agora tanto faz?

Na minha agenda eu nem mais escrevia,
Porque tudo dependia de você,
Deu-me e levou a alegria,
Por quê? Pra quê?

Sabe onde estou agora?
No mesmo lugar que te encontrei,
De onde olhei você ir embora,
Sei que para sempre aqui não ficarei...

Eu sonhei contigo, lembra?
Deixei tanta coisa de lado,
Nem sei se tudo valeu a pena,
Talvez só fui pra você um grande fardo!

Não sei o porquê de eu estar aqui,
Mexendo nessa lembrança,
Sei que tudo chegou ao fim,
Por que você nunca me disse pra eu deixar de ser criança...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

TÃO DIFERENTE...

Só hoje tive coragem de voltar, Mas percebi que eu já não estava mais lá. É tão difícil voltar e perceber, O que foi um dia, o que foi você. Doeu tanto olhar e não ver ninguém, Embora aqueles dias nem me fizeram assim tão bem. Quando vi o que vivi e o que sou agora, Foi assim que entendi, por que foi tão fácil ir embora. Agora sinto saudade, de toda aquela gente, Embora eu me sinta assim, tão diferente. O grito não saiu, o silêncio ecoou, Quando a gente partiu, nem sequer chorou. O que eu faria se voltasse atrás? Melhor seria? Ou sofreria muito mais? Diz-me se vale a pena, essa minha desilusão, Ninguém sequer nem lembra! Foi tudo em vão? Muitos anos parecem que já se passaram, Sinto que nem um pouquinho vocês deixaram! Foram-se assim, tão completos, O que ficou de mim? Não fiz nada certo. Estou aqui, como tantas outras vezes, Continuo a sorrir, e já se passaram tantos meses, Neste caminho o que leva é só saudade, Confesso que me sinto tão sozinho, mas à procura da felicidade, Perdão!…

SEI QUE POSSO CONTAR COM VOCÊ

(Para minha esposa linda, Tayra Furtado)

Acordar todos os dias,
E ver-te a toda hora, Compartilhar alegrias, Sem ter que ir embora, Nas noites mais frias, Abraça-me com demora.
Minha menina, Que assim sempre será, Tão imatura ainda, Fez questão de me amar, Por que a vida só se finda, Quando se deixa de acreditar.
Tão cheia de defeitos, E transborda qualidades, Para quê ser desse jeito? Se tudo já virou realidade? E ai, nesse peito, Sei que mora a felicidade.
Virão tantas noites escuras, Caminhos difíceis a percorrer, Mas se a vida nos é tão dura, Sei que posso contar com você, O espinho já me fura, Não me tente entender.
Somos assim, tão diferentes, E embora tão iguais, Os defeitos da gente, Findar-se-ão jamais, Mas quando estais na minha frente, O resto, já não existe mais...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque www.ozielpoeta.blogspot.com/
P.S.: Já passaram-se 8 dias do seu níver, era pra ter sido nele. Mas, vc sabe cm q tava nossa vida, um corre-corre. Te amo, e nada pd mudar isso...

ELE ME DEU SENTIDO QUANDO TUDO PARECIA INSEGURO

Ele deu sentido quando tudo parecia inseguro,
Quando tudo não parecia ter saída.
Ele me fez enxergar muito além dos meus olhos.
Estava só, nu e sem face.
E ele me abraçou com tanto carinho.
Vi meu rosto se molhar de lágrimas.
Pela primeira vez lágrimas verdadeiras, lágrimas com sentido.
Fui ao mais profundo que alguém pode ir e lá estava ele,
Sentado ao meu lado, me olhando como se dissesse:
“Eu ainda estou aqui! Você é meu filho, lembra?”
Nunca entendi o que era esse “tal” que tanto me falaram.
Acho que estava apenas iludido.
Entender o seu amor mudou a minha vida!
Ele me fez entender que não importava o que eu fizesse,
Ele continuaria me amando!
E mesmo que eu quisesse ou pedisse para ele me esquecer,
Ele não conseguiria. Ele havia morrido em meu lugar.
Ele me disse que o que valia não era o que havia vivido
E sim o que ele tinha para eu viver.
Vi meu chão cair, minhas convicções caírem,
E principalmente a minha religiosidade.
Aquela religião que havia vedado meus olhos...
Ele falo…

SOU CHÃO!

Um dia um sorriso me fez chorar,
Um dia uma lágrima já me fez sorrir,
Mas quando o dia terminar,
Quem vai estar aqui?

Talvez o frio nunca termina,
E há tanto medo que se venha o calor,
A vida não me ensina,
Se é verdade que existe amor.

Tenho numa mão uma enxada,
Para tirar todo entulho,
Na outra, não tenho nada,
É com que seguro o muro.

O medo aperta,
A dor sufoca,
A queda é certa,
Está tão longe aquela porta.

Já falei tanto,
Estou no mesmo caminho,
Quando olhei, vi só pranto,
Ajuda-me! Eu não vou sozinho.

Ainda quero água e pão,
É só o que preciso,
Sou terra, sou chão,
Oh, Deus! Sem ti não vivo...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/
Escrito em 14 de Julho de 2013

FINGIMENTO

A mesma mão que a afaga,
É a mesma que me aflige,
O que acende, apaga,
Quem diz tantas verdades, finge.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blospot.com/

QUE...

Que meu silêncio ensine,
E que minha minha voz acalme,
Meu grito, fascine,
Meu abraço, guarde.

Que cure, o meu olhar,
Meu sobro seja vida,
Seja esperança meu caminhar,
Que minha lágrima sare feridas.

Meu toque traga paz,
Minha fome traga amor,
Quero mostrar como se faz,
Da própria vida, a morte dessa dor...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Essa é em homenagem aos meus colegas e amigos da UFAC. (Terminando, hein?)

UTOPIA

Sonho com um mundo cheio de crianças,
Adultos, grandes, crianças inocentes,
Onde brincar trouxesse esperança,
E que eu não fosse um alvo, um sobrevivente.

Quero que os abraços sejam verdadeiros,
Que o amor seja de verdade,
Crianças apenas, no mundo inteiro,
Que os sorrisos revelam felicidade.

Somos "erros" em toda parte,
Somos pó em todo chão,
Cinzas? Não quero dar-te,
Pois é só o que sou, grão.

De tantas lágrimas e tão poucos sorrisos,
De falsos carinhos, mentira à luz do dia,
Quero o inatingível, sim, eu preciso!
Deixa eu ser feliz nessa utopia.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/