segunda-feira, 18 de março de 2013

FINGIMENTO


A mesma mão que a afaga,
É a mesma que me aflige,
O que acende, apaga,
Quem diz tantas verdades, finge.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blospot.com/

QUE...

Que meu silêncio ensine,
E que minha minha voz acalme,
Meu grito, fascine,
Meu abraço, guarde.

Que cure, o meu olhar,
Meu sobro seja vida,
Seja esperança meu caminhar,
Que minha lágrima sare feridas.

Meu toque traga paz,
Minha fome traga amor,
Quero mostrar como se faz,
Da própria vida, a morte dessa dor...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Essa é em homenagem aos meus colegas e amigos da UFAC. (Terminando, hein?)

UTOPIA


Sonho com um mundo cheio de crianças,
Adultos, grandes, crianças inocentes,
Onde brincar trouxesse esperança,
E que eu não fosse um alvo, um sobrevivente.

Quero que os abraços sejam verdadeiros,
Que o amor seja de verdade,
Crianças apenas, no mundo inteiro,
Que os sorrisos revelam felicidade.

Somos "erros" em toda parte,
Somos pó em todo chão,
Cinzas? Não quero dar-te,
Pois é só o que sou, grão.

De tantas lágrimas e tão poucos sorrisos,
De falsos carinhos, mentira à luz do dia,
Quero o inatingível, sim, eu preciso!
Deixa eu ser feliz nessa utopia.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/