segunda-feira, 18 de março de 2013

QUE...

Que meu silêncio ensine,
E que minha minha voz acalme,
Meu grito, fascine,
Meu abraço, guarde.

Que cure, o meu olhar,
Meu sobro seja vida,
Seja esperança meu caminhar,
Que minha lágrima sare feridas.

Meu toque traga paz,
Minha fome traga amor,
Quero mostrar como se faz,
Da própria vida, a morte dessa dor...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Essa é em homenagem aos meus colegas e amigos da UFAC. (Terminando, hein?)

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom.. Show.. Sz

Up= Luana Brito