Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

NOSSO QUADRO PINTADO...

Nossos três anos de casados é como um quadro pintado por um artista anônimo. Sem nome. Sem face. Que pinta e vive sem pretexto, sem saber como será o amanhã.
Eu olho para o quadro e sinto-me bem.
Vejo tudo o que passamos, vivemos, sentimos.
Meus medos. Seus medos.
A conta de luz na porta da geladeira.
A primeira botija de gás trocada.
A melhor comida, embora que muitas vezes a mais simples.
Melhores noites.
Melhor abraço.
Os cinco anos de namoro, em que tudo diz: não vai dar certo! E só a gente acreditava que ia dar certo.
Aquele um ano de noivado, em que víamos tudo se concretizando.
Os três anos de casados que vemos o tempo passar, enquanto escrevíamos nossa história, pequena, simples, igual a tantas outras e mesmo assim única. Escrevemos pedindo a Deus um amanhã melhor juntos.
As chatices. As brigas.
Os pesadelos durante a noite.
As cobranças.
As enfermidades.
As promessas.
Os três melhores anos...
Autor: Oziel Soares de Albuquerque www.ozielpoeta.blogspot.com/

PAI, EU NÃO ENTENDO...

Pai? Sou eu!
Estou aqui mais uma vez.
Meu coração se encheu,
E agora já é do ano o último mês.

É tão difícil entender, pai!
Essa vida tão maluca.
Com dores grito: ai!
E peço: não me abandone nunca.

É tanta coisa pai, querido!
Mas parece tudo igual.
Continuo quase sem um amigo,
Só tu estás aqui afinal.

Tantas vezes não tenho força,
E quase vou ao chão,
Não há às vezes quem por mim torça,
E eu sinto aquele vazio no coração.

Tenho saudades, pai amado,
De estar em teu colo,
É que esse meu fardo,
Pesa e eu tanto me demoro.

Paizinho, você me viu chorar?
Desculpa! Eu pareço ser tão forte,
Mas sinto tudo apertar,
Tenho medo do amanhã e da morte.

Pai! Abraça-me agora,
Vem! Não consigo correr,
Só grito nesta hora:
“Pai! Não deixe que eu viva sem você!”

Pai! Eu estou aqui gritando,
Porque vi muitos ficarem para trás,
Ajuda-me, que eu quero estar esperando,
Quando tudo já não lhes fazer sentido mais.

Não vou te perguntar motivos,
Eu não entenderia,
Só quero que enquanto vivo,
Eu tenha essa alegria.

Encerro, paizinho!
Pedindo-te per…

AOS ÓRFÃOS DO MUNDO...

Aos que órfãos são,
Um grande abraço,
Daqueles que durarão,
Sem tempo, sem espaço.

Aos órfãos do mundo,
Um perdão sincero,
Que vêm a este mundo imundo,
Que nem sempre é tão belo.

À todos que não conhecem seus pais,
À aqueles que isto já nem querem,
Sei que agora tanto faz,
Por isso nunca os esperem.

Um beijo na alma,
E que ele tenha tanto poder,
Pra lhes trazer a calma,
Pra lhes dar força pra viver.

À todos que moram com tios e avós,
Irmãos, ou não parentes,
Seus sentimentos invadem cada um de nós,
Eu juro: queria que fosse diferente.

Queria que cada um nascesse,
Ainda que em uma estrebaria,
Com seus pais também crescesse,
E seus natais fossem sem essa agonia.

Sinto as dores de vocês,
Seus medos nas madrugadas,
A ausência dos aniversários que ninguém fez,
A presença daquilo que se chama nada.

Vocês órfãos me escutem,
Não estão assim tão sozinhos,
Contra essa solidão lutem,
Existe um “cara” que nos dá carinho.

Por que órfãos, queridos!
Todos nós um dia fomos,
Sem pai, mãe, amigos,
Mas…

UM ALGUÉM (VEJO LÁGRIMAS)...

Vejo lágrimas rolarem,
Em rostos que aos poucos conheço,
Enquanto os motivos estão a me contarem,
São tantas [lágrimas], mas de nenhuma  me esqueço.

Vejo lágrimas por tantos motivos,
E confesso sentir a mesma dor,
Por milésimos sinto que vivo,
A mesma falta de paz, abrigo, amor.

Vejo lágrimas todos os dias,
De meninos e meninas de almas mutiladas,
Que se o tempo voltasse não errariam,
E não acreditariam em contos de fadas.

Vejo lágrimas que não são minhas,
Pois meus olhos tiveram que secar,
Para que estas descessem sozinhas,
Apenas minha alma agora pode chorar.

Vejo lágrimas até quando?
Esse tempo aqui não para,
Não cessam-se os prantos,
A ferida? Ela nunca sara?

Vejo lágrimas e me importo,
Eu sei o que está por trás,
Sei que dia estaremos mortos,
Hoje? É que o futuro tanto faz.

Vejo lágrimas e as sinto,
Elas escorrem aqui por dentro também,
Dói, é claro! Não minto,
Mas serei sempre um ouvinte, um alguém...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

ABRIGO...

Já feriram-me tantas vezes,
Com palavras que todos suportariam,
Durante muitos e muitos meses,
Criticaram-me tanto, muitos não aguentariam.

Já senti-me tão só,
Que nem parecia estar ali,
Já ouvi palavras que sabia de cor,
Jurava-se verdade, mas eu via aquele alguém mentir.

Quis fugir então,
Sem saber pra onde,
Sim, eu senti depressão,
E descobri que tem coisa que não se esconde.

Estive em cada lugar,
Que estar nunca pensei,
Fiz coisas de arrepiar,
E os motivos eu já nem sei.

Tive medo de verdade,
De morrer só e sem amigo,
Porque na vida a tal felicidade,
É quando temos alguém pra fazer de abrigo.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

SE FOR PRA CAIR?

(Atendendo o pedido da minha aluna Oriana Souza, à Luana Maquim, com o desenho de Lucas Santos - Galerinha do 3º C/ 2015/ EPJC)

Poucas coisas na vida valem tanto,
Pouquíssimas coisas merecem atenção,
Poucos ouvirão nosso pranto,
Menos ainda vão nos pedir perdão.

Nada é por acaso,
Nada é sem jeito,
Em um mundo onde tudo tem um prazo,
Onde todo mundo tem defeito.

Somos amigas há 2 anos,
Somando ainda 7 meses,
De momentos que juntas choramos,
E sorrimos tantas e tantas vezes.

Sei que nossa amizade é bem mais forte,
Do que tudo que existe,
Desejo-lhe muita, muita sorte,
E que nada lhe deixe completamente triste.

A vida é uma estrada,
Longa, às vezes até demais,
Que suas escolhas não te levem ao nada,
E que os amigos não te faltem jamais.

Você sempre estará aqui,
No coração e na minha mente,
E se for pra cair?
Cairemos juntas novamente.

Autor: Oziel Soares de Abuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Um brinde à amizade.Em um mundo no qual amigos não mais dizem EU TE AMO. No mundo que…

SEM VOCÊ NÃO MAIS VIVO...

(Aos 23 anos da minha pequena)

A mesma menina,
De nove anos atrás,
Tão linda ainda,
Com as mudanças que o tempo faz.

Outro ano que passa,
Ao redor do sol mais uma volta completada,
E hoje já não há mais o que eu faça,
Para que te sintas mais amada.

Você foi o maior presente,
Que na vida recebi,
E apesar das palavras contra a gente,
De você nunca desisti.

Obrigado por me ajudar,
E tantas vezes me ouvir,
Quisera mil presentes te dar,
E desejar que estejas sempre aqui.

Mas é claro que sei, amor,
Que presentes não te importam,
Como desde o início não te preocupou,
Pois sabias que abertas seriam muitas portas.

Espero tê-la sempre comigo,
Apesar de eu não ser perfeito,
Tento sempre ser esposo e amigo,
Mas as vezes são mais fortes meus defeitos.

A vida é tão corrida,
Nem sempre tenho tempo,
Mas você me motiva, vida!
Mesmo longe te levo aqui dentro.

Obrigado, outra vez,
Parabéns, minha pequena,
Sei que tudo que Deus nos fez,
Te tem feito cada dia mais plena.

A melhor esposa e amante,
Melhor …

NÃO MUDE JAMAIS OU POR QUÊ?

(Despedida da Escola Presbiteriana João Calvino da amiga, bióloga, colega de profissão e aflições Luana Alencar)

Somos únicos cada um de nós,
cada ser humano nesta vida tão louca,
Na qual nem sempre ouvem nossa voz,
E que as oportunidades são tão poucas.

As pessoas sempre vêm,
E vão também embora,
Porque o sonho que cada um tem,
Não nos permite demora.

Cada um é tão assim,
Igual e diferente,
E apesar de hoje não ser o fim,
Não a teremos todos dias com a gente.

Sei que ninguém quer,
Se afastar de quem se gosta,
Mas a verdade dura é,
Inevitável é o que o tempo mostra.

Amanhã já não seremos mais,
Quem somos agora,
Talvez para muitos tanto faz,
Mas não viveremos mais esta hora.

De sonhos corra sempre atrás,
Eles são o melhor de cada um,
Tente  fazer sempre mais,
Pra que amanhã não sobre nenhum.

Nenhum sorriso,
Nenhuma cicatriz,
Porque hoje o seu compromisso,
Amanhã te fará mais feliz.

Esqueça minhas palavras,
Esqueça tudo aqui,
Esqueça quem amavas,
Para que amanhã possas sorrir.

Seu jeit…

O SOFÁ...

(Sobre minha melhor lembrança da Faculdade, um "sofazinho" na porta da sala de um dos professores)

Lembrei daquele sofá,
Das tantas lembranças,
Das coisa que nem queria lembrar,
Coisa que ainda me cansam.

Lembranças ainda tão fortes,
Tão claras em minha mente,
Hoje sei que entre a vida e a morte,
Sempre existirão fantasmas que atormentarão a gente.

Por tanto dormir,
Lembrei de sonhar,
E você nunca estava ali,
Nem agora pode estar.

Aquele sofá, querida,
Era o que eu tinha de melhor,
Manhãs e tardes sofridas,
Das canções que ainda sei de "cor".

Lembrei de tudo isso,
Por que sempre me incomoda,
Saber tudo que agora preciso,
Um dia tive, mas hoje? É "foda"!

O sofá para mim?
Eu sei o que é!
Pode ser tudo que teve fim,
E que hoje a gente tanto quer...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

TENTATIVAS...

Já tentei mudar o mundo e descobri que ele não quer ser mudado.
Pensei que para voar eram necessárias asas. Não são elas que nos fazem sair do chão.
Acreditei estar certo, descobri que a maior certeza é que estamos sempre errados.
Jurei amor pela eternidade. Depois percebi que é muito tempo.
Por falar em tempo, ele é a coisa mais maluca que existe.
Tentei fazer tudo certo. Cheguei à conclusão que as vezes era necessário fazer o errado.
Descobri que nunca somos maduros o suficiente. Que nunca sabemos nada.
Na verdade, a vida é muito complexa para poder existir um padrão.
Não existem modelos. Existem chances. O que fazer? Tentativas.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

UM PERDÃO...

Perdão! A todos que foram traídos,
A qualquer um que foi enganado,
Aos que se encontraram perdidos,
Por em alguém ter confiado.

Perdão em nome dos “canalhas”,
Que tiveram coragem para ferir,
Eu sei que a humanidade é falha,
Mas a verdade é melhor do que mentir.

Perdão a todas meninas,
Que amaram a primeira vez,
Imaturas, crianças ainda,
Que não mereciam o que cada um fez.

Perdão pelos seus sonhos,
Que lhes fizeram acreditar,
E hoje seus olhos tristinhos,
Só o que conseguem é chorar.

Perdão por cada palavra dita,
Nenhuma era verdade,
Espero que essa lembrança maldita,
Não se torne uma barreira para a felicidade.

Perdão por cada abraço mentiroso,
Cada briga sem razão,
O mundo é mesmo um nojo,
Mas em nome da vida: Perdão!

Saiba que nesse mundo,
Ninguém é perfeito,
Criam-se buracos profundos,
E essa dor aí no peito.

Um perdão não muda nada,
Nem nada o pode fazer,
Nem força pode ser dada,
Já que seguir depende de você.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

NEM SEI...

Essas marcas no meu corpo,
Não lembro quando ganhei,
Essas rugas no meu rosto,
É de um tempo que já nem sei...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

AINDA SOMOS DIVERGENTES?

Que horas são?
Que eu já nem sei.
Onde meus acusadores estão?
Onde daqui a poucos segundos estarei?

Ainda chove?
Ou lá fora está quente?
Restaram oito ou nove?
Ainda somos divergentes?

Meu rosto ainda está molhado,
E não por que choveu,
É por que aqui neste lado,
Ninguém se vendeu.

Não consigo salvá-los,
Sinto muito, mas não posso,
Queriam tanto não só olhá-los,
Esses órfãos? Sempre serão nossos.

Perco-me no tempo,
Não encontro-me nas horas,
E meu maior sofrimento,
É ter medo de ir embora.

Alguém ouve o meu grito?
Ou é o meu que estou ouvido?
Estou sozinho e aflito?
É ilusão ou eles estão vindo?

Estou ali,
Onde ninguém sabe,
Se você me ouvir,
Já encontrei a felicidade.

Meu relógio parou,
Minha boca foi costurada,
Está tudo bem, amor!
Eu deixei o mapa desta estrada.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

NÃO ME PEÇA...

Meu silêncio?
Não importa para vocês!
Como tudo que penso,
Já que quero fazer o que ninguém fez.

Para quê palavras?
Se nada é tão importante?
Se aqueles que tu amavas,
Agora já estão distante?

Meu mundo não é este,
É claro que não sou daqui,
Lutei sozinha para que eu não me perdesse,
E hoje tenho outro motivo para sorrir.

Algo maior me motiva,
Alguém que chamo de Deus,
Até o dia que ele quiser estarei viva,
Vivendo a vida que ele me deu.

Não me julgue tanto assim,
Não procurem me entender,
Aqui dentro de mim,
Definitivamente não depende de você.

Meu silêncio, queridos,
É melhor do que suas conversas,
Tenho dúvidas sobre a palavra amigo,
Responder-te? Não me peça!

Não peçam todos que aqui estão,
Você não tem direitos,
Vocês ensinam sobre o coração?
Ou só querem que sejamos perfeitos?

Esta perfeição que me cansa,
Alienação que nos mata,
Só sou mais uma criança,
Que não diferencia ouro e prata.

Às vezes só queria um abraço,
Outras um perdão,
Ou um pouco do silêncio que eu faço,
Mas que …

JÁ NÃO CANTARÃO...

Pai! Mentiram para mim!
E usaram teu nome!
Claro que não acreditei,
Afinal, sou teu filho a tanto tempo.
Eles têm dito coisas terríveis,
Que são contra o que tu me ensinastes!
Não me considero forte,
(Nunca me consideraria),
Mas ajuda os que são mais fracos.
Aqueles fizeram estes duvidarem.
Alguns, Pai, não mais querem te ouvir.
Porém, eu sei que tu já o sabes.
Que tu permitiu.
Dói tanto, Pai!
Ver eles usarem teu nome.
Eles me deixaram mais duro,
Mais surdo e um pouco mais cego.
Eu achava que tu os havia enviado.
Me enganei de  novo.
Mentiram para nós.
Todos nós que somos tão dependentes de uma palavra tua.
Meus irmãos estão fracos.
Eu estou.
Cuide de nós.
Essas mentiras já me cansaram a muito tempo.
Imagino o quanto a ti também.
Muitos que aqui estavam já não estão.
Muitos que aonde iam um louvor cantavam,
Amanhã já não cantarão...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

MUROS...

Nossos muros são mais altos,
Do que nosso próprio "eu",
Antes era só dar um salto,
Sua função agora se perdeu.

Antes apenas nossas casas eram cercadas,
Hoje é a nossa mente,
Não há mais ruas ou estradas,
É a beira do precipício iminente.

Cada vez mais estamos sozinhos,
Protegidos talvez do mal,
Porém o pior dos espinhos,
Não está fora do quintal.

Nos protegemos do mundo,
Fugimos da realidade,
Perdemos a noção de tudo,
Nos isolamos da realidade.

Quando os derrubaremos?
E qualquer um poderá entrar?
Além dos muros que hoje temos,
No coração e naquilo que chamamos de lar...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

COMO?

Como não ter raiva?
Se atitudes doem demais?
Como não chorar?
Se minha dor para os outros tanto faz?

Como não sorrir?
Se a alegria invade o peito?
Como não desistir?
Se já não há mais jeito?

Como não gritar?
Se o silêncio não diz nada?
Como caminhar?
Se já findou aquela estrada?

Como não ter medo?
Se o escuro é tão cruel?
Como não sonhar?
Se meu limite é o céu?

Como não partir?
Se nada já não me prende?
Como não discutir?
Se a gente já não se entende?

Como não temer?
Se minhas pernas estão tremendo?
Como esquecer?
Se aqui dentro está doendo?

Como? Me diz?
Como esquecer toda dor?
Fingir ou tentar ser feliz?
Se já nem acredito nesse tal amor?

Autor:Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

SE EU MORRESSE HOJE...

Se eu morresse hoje, eu teria menos chance do que já tive ontem, do que já tive sempre.
Se eu morresse hoje haveriam mil motivos para chorarem ao meu lado.
Mil palavras que nunca ouvirei serem pronunciadas.
Haveriam mil perguntas, só não sei se mil respostas.
Mil abraços. Mil silêncios.
Mil lágrimas tomariam o lugar de mil sorrisos que ainda espero ver.
Mil flores tomariam o lugar de apenas uma rosa que poderia ser plantada no meu jardim.
Mil adeus para quem não mais ouve um "bem vindo".
De mil em mil se somaria em nada, ou só mais um.
Mais uma história. Mais um fim. Um peregrino. Um louco.
Talvez um sábio. Com certeza um mendigo. Um vagabundo. Pó e cinza.
Se eu morresse hoje o seria o mesmo, por que sempre o foi.
O maldito mundo de crianças sem pai, mãe, oportunidade, vida.
Esse mundo continuaria existe da mesma forma que hoje.
O mesmo hoje no qual eu poderia ter morrido...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

NÃO HÁ TEMPO...

De todas as verdades sinceras,
Que vos já disse e escrevi,
Minha alma anseia e espera,
Que guardem esta que hoje "construí".

Não há tempo para sermos melhores filhos,
Amanhã já seremos pais,
Não há tempo para sermos melhores amigos,
Amanhã já não os teremos mais.

Melhores alunos não há como,
Nem ainda melhores professores,
No futuro o trabalho em nossos lombos,
Não terá como amenizar as dores.

Não há tempo para sermos melhores maridos,
Amanhã estaremos tão sós,
Esposas, não poderão ser abrigo,
Ele não poderá mais ouvir sua voz.

Não há tempo crianças,
Para nem ao menos concertar,
Tens alguma esperança?
Os que se foram não mais irão voltar.

Não há tempo amor,
Para sonhar tanto assim,
O que passou, passou,
O futuro é também meu fim.

Sinto muito ser sincero,
Dói tanto essa verdade,
Não há tempo, encerro,
Pra achar razão pra essa tal felicidade.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
ww.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Dedico à minha esposa linda, que tem compartilhado uma história co…

VALE A PENA?

A vida vale a pena?
Vale a pena esse viver?
Todo dia a mesma cena,
Todo dia essa vontade de morrer.

A agonia é constante,
Que bate à janela,
Pois é eterno esse instante,
Essa vida, esse quarto, essa cela.

Vale a pena tudo isso?
Correr atrás do vento?
Se ninguém tem compromisso,
Não se interesse por meu tormento.

Sou sozinho, sozinho estou,
E não escuto quase nada,
Vale a pena sentir amor?
Se a qualquer momento a vida nos é tirada.

Vale a pena eu sorrir?
Quando queria chorar?
Ninguém estará aqui,
Para minhas lágrimas enxugar.

Tenho medo, amigo,
De ser só mais um qualquer,
Que correu tanto perigo,
Mas não sabe quem ele mesmo é.

Vale a pena, estou certo!
Pois nada me desanima,
Morrer? Não. Eu quero é estar perto,
De quem não me enxergou ainda...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/


SOLIDÃO...

O que é solidão?
Para quem já foi deixado pelo próprio pai?
Para um Deus que sentiu-se humano,
E quem sabe por um minuto sentiu-se mortal.
O que é sentir-se abandonado para quem conhecia todas as pessoas do mundo?
Sozinho? Solidão? Abandonado?
Você não sabe o que é nada disso!
Você não viu seu pai calar quando deveria em alta voz te defender
E te salvar da morte!
Seu pai não consentiu em você pagar por um crime que não cometeu!
Não me fale de abandono, se eu vi o mundo desprezar seu criador!
Eu O vi chorar olhando para nós
E nós? Simplesmente viramos as costas,
Quando deveríamos correr para debaixo de suas asas!
Solidão? Não existe!
Você até pode sentir-se só,
até pode sentir-se abandonado,
ELE sabe o que foi estar sozinho!
Por isso mesmo prometeu sempre estar perto,
para nunca experimentarmos de verdade o que é solidão...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

NÃO LEMBRO MAIS SUA FACE...

O que aconteceu conosco? O que houve com a gente? No espelho já reconheço meu rosto, Mudamos tudo, até a nossa mente?
Aquelas “coisas” já não sentimos mais? Aquelas promessas foram esquecidas? Quanto tempo? Tanto tempo faz? Que me parece que já nem temos vida?
Onde nos perdemos? Naquela rua, naquela esquina? Ou apenas esquecemos, E vamos nos lembrar ainda?
Sinto não ser mais eu, Sinto não ser mais nada, Parece-me que já se perdeu, Aquela vontade foi deixada!
Não lembro mais sua face, E esqueço mais a cada dia, Esperança em mim já não nasce, Você se foi, e disse que não mais voltaria.
Te fiz tantas promessas, E nenhuma consegui cumprir, Mas se lembras de todas as nossas conversas, Tens certeza que sempre estarei aqui...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque www.ozielpoeta.blogspot.com/

MEU ÓDIO E RANCOR...

Meus pêsames a todos vocês,
Que se enganam e suas vidas são uma mentira,
Que acordam para enganar-se outra vez,
Que precisam sofrer para entender que não é ao seu redor que o mundo gira.

Meu ódio e rancor,
Àqueles que vivem de fachada,
Que vão acordar  e ver que tudo acabou,
E o que restou? Tão somente o nada!

Odeio-lhes pois vocês fazem alguém acreditar,
Que essa mentira seja verdade,
Alguém que acreditando nunca vai encontrar,
Aquilo que nós chamamos felicidade.

Hipócritas e falsários,
Não posso convosco viver,
Os motivos são vários,
E que nem todos podem entender!

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

INDECISÕES...

Eu tento todos os dias,
Ser o que não sou,
Se pudesse não faria,
Mas preso a essa mentira já estou.

Tenho que acreditar,
Em coisas que não acredito,
Tenho que ficar,
Se pudesses já haveria fugido.

Fingir que tudo está bem,
Quando na minha mente há uma tempestade,
Interesse eles não têm,
Querer saber da minha felicidade.

É sem sentido tudo isso,
Com todos esses adereços,
Sei que todos fingem compromisso,
Hipocrisia que não mereço.

Me sinto melhor no meu quarto,
Ouvindo minhas canções,
Dessas mentiras estamos todos tão fartos,
Incertezas, tormentas e indecisões...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

VOLTAR...

Estou de volta aos meus problemas,
De volta aos meus dilemas,
Retorno aos meus medos e frustrações,
Aos meus poemas, às minhas canções...

Escrito em 19 fev. 2015
Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

TUDO O QUE HOUVE COM A GENTE...

E por que tem que ser assim?
Tão difícil e complicado?
Não conseguir tirar de si,
Não conseguir ser apagado?

É tão difícil ter memória,
Que assusta e atormenta,
Perceber somente agora,
Que a saudade só aumenta.

Na verdade não entendo,
Nem tão pouco entenderei,
Os sinais acabei não vendo,
E os motivos já nem sei.

É fácil dizer que tudo se vai,
É fácil nos primeiros momentos,
Depois vai doendo mais,
Depois vêm os tormentos.

Não sei o que será,
Nem ao menos o que sentir,
Mas quando isso tudo acabar,
Já não mais estarei aqui.

Viverei uma história diferente,
Pois já não vale a pena,
Tudo o que houve com a gente,
Na minha mente será só mais uma cena...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

UM AMIGO QUE NÃO FUI...

Peço perdão por ter prometido estar perto.
Na verdade, não sei se tive algum dia.
Perdão por ter dito que estaria ao seu lado sempre que precisasse.
Tenho certeza que inúmeras vezes quisestes falar comigo e eu estava longe demais para te ouvir.
Te fiz tantas promessas, como tantos outros o fizeram.
Arrependo-me de não ter sido o amigo que pensei ser capaz.
A vida é estranha.
São tantas coisas, que esqueço até de mim.
Esquecendo-me, esqueço das pessoas que amo.
Esqueço daquilo que tenho de mais valioso.
Prometo não prometer-te mais nada que eu não possa cumprir.
Estarei aqui.
Tenha certeza que em algum lugar de mim você não foi esquecida.
E quando eu orar,seu nome será mencionado.
Tenho certeza que Ele cuidará de ti bem melhor do que eu...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot;com/

DEMÊNCIA

Pai, não deixe que o  dia termine,
Sem que eu busque tua presença,
Por favor, aproveite e me ensine,
A fugir dessa demência.

Tenho achado-me impuro,
Outra vez pequei,
Estou outra vez no escuro,
Outra vez, aqui me achei.

Tenho estado ocupado,
Com coisas que deviam me levar a ti,
Mas sei que nesse meu estado,
Não posso te fazer sorrir.

Socorre-me pai!
Ajuda-me agora!
Minha força se vai,
Mas por favor não te demora.

Espero te encontrar,
Onde talvez eu perdi,
Poder te abraçar,
E viver para o que eu nasci...

Autor:Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

OUTRA VEZ AQUI...

(Li no dia do meu casamento)

Um dia um ser franzino,
Disse: "Vamos namorar?"
Hoje aquele menino,
Diz: "Sim, é com você que quero casar".

Dividir a mesma casa,
Dividir a mesma dor,
Por que tudo na vida passa,
O que permanecerá será nosso amor.

Estou aqui,
Na mesma estrada,
O que me importa é te fazer sorrir,
E ser feliz, mais nada.

Hoje damos as mãos,
Para escrever com a mesma caneta,
Entre sim e o não,
É sim! O resto se ajeita.

Com dúvidas, medo, fé,
Por que Deus plantou nosso jardim,
Com aquilo que a gente é,
Por que nosso sonho não teve fim.

Por que cada lágrima valeu,
Sim, bebê! Valeu a pena,
Estar aqui, você e eu,
Te prometi, lembra?

Sei que vou te ferir,
Será talvez inevitável,
Mas estar aqui,
Deus fez dar certo o improvável.

Te aceito como mulher,
Esposa e amante,
Pra ser parceiro e amigo até,
Pra ir bem mais distante.

Outra vez aqui estou,
Como outras durante nossos seis anos,
Querendo viver contigo bem mais do que passou,
Pra  dizer sim, amor: Eu te amo tan…