sábado, 7 de novembro de 2015

ABRIGO...

Já feriram-me tantas vezes,
Com palavras que todos suportariam,
Durante muitos e muitos meses,
Criticaram-me tanto, muitos não aguentariam.

Já senti-me tão só,
Que nem parecia estar ali,
Já ouvi palavras que sabia de cor,
Jurava-se verdade, mas eu via aquele alguém mentir.

Quis fugir então,
Sem saber pra onde,
Sim, eu senti depressão,
E descobri que tem coisa que não se esconde.

Estive em cada lugar,
Que estar nunca pensei,
Fiz coisas de arrepiar,
E os motivos eu já nem sei.

Tive medo de verdade,
De morrer só e sem amigo,
Porque na vida a tal felicidade,
É quando temos alguém pra fazer de abrigo.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

Um comentário:

Anônimo disse...

o saudades desses poemas unicos e tao tao verdadeiros.. amo amo de mais, oziel soares como sempre. parabens pelas tao sinceras e lindas palavras..