Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

TANTAS E QUANTAS VEZES...

Tantas vezes me escondi,
Atrás de um batom,
Tantas, que até esqueci,
Daqueles tantos momentos bons.

Quantas vezes minha máscara foi a maquiagem,
Tantas que já nem sei,
Quantas minha alegria era só uma miragem,
E de tantas não mais esquecerei.

Tantas vezes meu sorriso,
Era só uma cortina,
Que escondia a lágrimas que derramar preciso,
E que amanhã precisarei ainda.

Quantas vezes já me olharam assim de lado,
Dizendo "que vida boa ela tem",
Mas nunca entenderão o meu passado,
E que as vezes aqui, não há ninguém.

Tantas vezes me perdi,
Tentando me encontrar,
Em qual momento esqueci?
Como se faz pra apagar.

Quantas vezes tive medo,
De descobrirem quem eu sou,
E agora que já não é mais tão cedo,
Escondida aqui ainda estou.

Tantas vezes meu amigo,
Eu não podia nem chorar,
Quem é fraco corre perigo,
Mas quem é forte, fraco está.

Quantas vezes que eu não posso,
Dizer o que já fiz,
Só sei que nesse mundo doido que é o nosso,
Depois de amanhã? Estarei bem mais feliz...

Autor: Oziel Soa…

OS DIVÓRCIOS CESSARÃO?

Onde estão meus pais?
Separaram-se também,
Juntos já não estamos mais,
Juntos não há ninguém?

E o mundo tão perfeito,
Cheio de final feliz,
Que sonho quando deito,
E é o que sempre quis.

Era tudo mentira,
Era só conto de fada,
E um dia a gente pira,
Porque no fundo não existe nada.

Não existe esse amor,
Prometido assim pra sempre,
E no fundo o que restou,
Foi levado de repente.

Quero acreditar agora,
Que não foi em vão,
Acreditar que qualquer hora,
Os divórcios cessarão.

As promessas serão cumpridas,
E haverá felicidade,
E lá no fim desta vida,
Seremos felizes de verdade.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

O MESMO AINDA SOU...

Por que você mudou?
Tão rápido assim e sem explicação,
E desde de que você voltou,
Já não sinto bater aquele mesmo coração.

Pra quê mudar tanto,
Era necessário?
Ficarei aqui no meu canto,
Com meus pensamentos vários.

Não entendo quase nada,
Por que precisa ser assim,
Percorremos a mesma estrada,
E plantamos aquele jardim.

Lamento tudo isso,
E o tempo que passou,
Entender é o que preciso,
Pois o mesmo ainda sou...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/