quinta-feira, 29 de setembro de 2016

O MEU SILÊNCIO, PAI...

Pai, o meu silêncio,
É como se eu gritasse para ti,
Escutas até o que penso,
E sabes das tantas vezes que penso em desistir.

É que a vida, paizinho,
Está sempre tão maluca,
E são tantas as vezes que me sinto sozinho,
Embora sei que não me deixas nunca.

Tu bem sabes que tenho tanto pra fazer,
Às vezes sinto que até te esqueço,
Mas tens feito tanto a meu ver,
Tanto, que nem mereço.

Às vezes sou tão duro,
E falo tanta besteira,
Me ajude a ser mais maduro,
E ter palavras verdadeiras.

Pai, eu não sumi,
Igual a tu, eu não me vou,
Se fiz parecer que te esqueci,
Sabes que não vivo sem teu amor.

O meu silêncio é grito,
Meu grito é minha voz,
Não deixes que meu coração fique aflito,
Pai, lembre-se de nós...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

Um comentário:

Anônimo disse...

UAU. Oração mais que própria.
Que o Senhor Jesus, venha sobre sua vida todos os dias. E que cada texto seu
venha ser uma porta aberta para cada pessoa, com coração e situação diversas.
Sucesso!