sexta-feira, 20 de março de 2015

DEMÊNCIA


Pai, não deixe que o  dia termine,
Sem que eu busque tua presença,
Por favor, aproveite e me ensine,
A fugir dessa demência.

Tenho achado-me impuro,
Outra vez pequei,
Estou outra vez no escuro,
Outra vez, aqui me achei.

Tenho estado ocupado,
Com coisas que deviam me levar a ti,
Mas sei que nesse meu estado,
Não posso te fazer sorrir.

Socorre-me pai!
Ajuda-me agora!
Minha força se vai,
Mas por favor não te demora.

Espero te encontrar,
Onde talvez eu perdi,
Poder te abraçar,
E viver para o que eu nasci...

Autor:Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

Um comentário:

Anônimo disse...

... Nossa palavras lindas, palavras que de fato te faz enchergar aquilo que vc de si msm esquece.. As vezes quando o dia acaba esquecemos de agradecera Deus pelas oportunidades , mas depois q abro seu blogg eu sim sei o q devo fazer depois. Que Deus continue lhe conduzindo, seus pensamentos valem ouro, não por dinheiro mas riquezas de pensamento.. Sucesso fessor.
Up; Luana Brito.. Eu amo seus textos..