terça-feira, 17 de janeiro de 2017

JÁ CAMINHEI TANTO, PAI...

Meus pés estão tão cansados,
Sinto que minhas pernas não respondem mais,
Caminhei tanto e levei tantos fardos,
Já caminhei tanto, Pai.

Corri corridas que não devia,
Andei em estradas que ninguém mais foi,
Passo a passo, até a noite torna-se dia,
E nunca sabia como voltar depois.

Já te procurei em tantas igrejas de fachada,
E minha vida tem sido essa procura,
Mas Pai, eu já sei mais nada,
Só sei que minha caminhada tem sido tão dura.

Pai, o Senhor viu quantos me feriram?
E que aos poucos levantei do chão,
Por que todos depois partiram,
A tantos outros ferirão?

Já nem sei há quanto tempo,
Estou caminhando assim tão só,
E toda dor e meu tormento,
Sei que um dia me fará melhor.

Pai, de novo sem forças estou,
Faz tanto tempo, não é?
Andei tanto em busca desse teu amor,
Que nem estavam comigo a Força e a Fé.

Mas sigo aqui em frente,
Sempre, sempre em tua direção,
E embora batam tanto na gente,
Pai, não voltarei atrás mais não...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

Um comentário:

Débora Kassia disse...

Percebemos sua franqueza no falar e o segredo de animar .Onde comove os amantes da poesia que tanto sonham em se expressar também sou poeta gosto muito do que faço e através do que eu escrevo tento sentir e vê o que as profundezas do meu ser quer dizer . Gostei muito.