Pular para o conteúdo principal

Postagens

POR FAVOR NÃO DESISTA, VIVER VALE MUITO A PENA...

Por favor não desista, Viver vale muito a pena,
Lute e outra vez persista,
E a dor amanhã será pequena.

Não ponha fim a sua vida,
Há um futuro além da dor,
Embora doa tanto ainda,
Esse passado que lhe marcou.

Não sofra assim sozinho,
Conte tudo pra alguém,
Até o abismo tem um caminho,
E que nunca termina bem.

O amanhã será melhor,
O hoje será lembrança,
Não pense que no mundo és tão só,
E que não, não há esperança.

Tire o pensamento mal,
Seu problema é de verdade,
E nesse mundo tão real,
Há sim uma porta para a felicidade.

Peço novamente,
Não desista por favor,
Lembre-se que dentro da gente,
Há uma força que nunca nos deixou.

Sua vida é valiosa,
Sempre há quem lhe ama,
Sim, viver é coisa perigosa,
Mas para viver, Deus hoje te chama.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/
Postagens recentes

CONSELHOS...

Na próxima vez que puder tomar banho na chuva, tome sem medo.
Quando tiver a chance de abraçar, abrace o mais forte que puder.
Se tiver a chance de chorar, o faça copiosamente e só enxugue as lágrimas quando já não quiser mais chorar.
No dia que fores partir, dê o adeus mais pleno e longo que puder.
Na ausência de um assento, sente-se no chão e contemple o mundo do melhor lugar.
Ao ter insônia, planeje o amanhã e revise o plano inúmeras vezes. Provavelmente, tudo será como você pensou.
Se fores se vingar, não se vingue. Se tornarás pior do que aquele que te feriu.
Se fores viver, sobreviva. É o mínimo que podes fazer com essa dádiva tão ímpar.
Quando quiseres aprender algo novo, aprenda a amar.
No dia que não puder fazer nada, seja o silêncio. No fim de tudo é só o que restará.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Mais um daqueles textos que sinto que não terminei...

UMA CANÇÃO BEM DIFERENTE...

Aquela pessoa que te prometeu, a terra e o céu,
Te fez acreditar que era amor de verdade,
Te fez provar o gosto amargo do fel,
E mostrou o lado escuro da solidão e da saudade.

Aquelas palavras bonitas demais,
Aqueles abraços, sempre tão quentes,
Hoje não te arrepiam mais,
Olhar uma foto já é bem diferente.

Os sonhos que te fez sonhar,
E que só viraram pesadelo,
Tão certa de que aquilo era amar,
Mas nos olhos viu agonia e desespero.

Promessas são de vidro,
Palavras de algodão,
Esforço não é preciso,
Pra perceber que tudo é em vão.

Em quem ou no que acreditar?
Se entregar de novo intensamente?
Quando o lápis apontar,
Escreva uma canção bem diferente...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

TUDO VAI FICAR BEM...

O que dizer agora?
Dizer que tudo vai ficar bem,
E querer que a vida vá embora,
Não acaba a dor de ninguém.

Dizer que essa fase difícil passa,
Mesmo que você não acredite,
Sei que não há o que se faça,
Pra que entendas que esse não é o seu limite.

Você é mais forte do que imagina,
E não, não está sozinha,
Têm tantos que a amam ainda,
Se precisar, sua luta também é minha.

Conte comigo quando se sentir só,
Pra qualquer coisa que precisar,
Lembre-se que a força que no mundo é maior,
Deus, está a tudo controlar.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

AMANHÃ DOERÁ AINDA?

O sofrimento um dia finda?
Uma hora tudo muda?
Ou amanhã doerá ainda?
E essa ferida estará um pouco mais profunda?

Tanto tempo se passou,
Tanto eu já senti,
E o que é rancor?
E a lembrança do que perdi?

Até quando a gente aguenta?
Eu já nem tenho esperança,
Sou lembro de viver essa tormenta,
Já esqueci que um dia fui criança.

Quanta dor se suporta?
Não há também um limite?
Essa angústia que meu peito corta,
Essa mágoa que se manter insiste.

Até quando irá doer?
Eu viverei sempre assim?
Tenho medo de tão tarde ser,
E já não saber o que será de mim.

Tem algo que ainda briga,
Tem uma força que me segura,
Essa dor, minha inimiga,
Será a lembrança da minha cura.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

ONTEM E AGORA...

O melhor dia foi ontem,
E o melhor momento é agora,
E o que já aconteceu não me contem,
Que amanhã breve também será outrora.

O hoje é quase nada,
E o futuro será também,
Eu só sigo nessa estrada,
Para que depois eu seja alguém.

Aqui, onde estou,
Tudo é tão comum,
Por isso eu vou sempre vou,
E muitas vezes a lugar nenhum.

O ontem não entendo,
Pois passou tão depressa,
Quem deixei não estou mais vendo,
E já esqueci todas as nossas conversas.

O amanhã é tão distante,
E tão perto de repente,
Às vezes volto e vou adiante,
Ou apenas encaro diferente.

Ontem foi o melhor dia,
Agora é o melhor momento,
Se hoje sou em parte harmonia,
É por que já fui todo desespero e tormento.

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

UM POUCO MAIS DISTANTE...

Tantas vezes já pensei em parar,
O medo e o desespero foram minhas companhias,
Tantas vezes já quis para trás voltar,
E ser aquilo que fui um dia.

Tantas vezes erros cometi,
Alguns que pra consertar não tive tempo,
Tantas vezes nas minhas próprias palavras me perdi,
E em outras vezes me calei no pior momento.

Tantas vezes chorei sozinho,
E outras nem chorar eu pude,
Tantas vezes sai do meu caminho,
E percebi o quanto é necessário que a gente mude.

Tantas vezes a loucura me abraçou,
E seu abraço era doce,
Tantas vezes ninguém me encontrou,
E esperei que onde eu estava alguém fosse.

Tantas vezes disse a verdade,
Outras até eu duvidei,
Tantas vezes senti saudades,
E em outras pra esquecer tanto me esforcei.

Tantas vezes eu vivi,
Tantas viverei ainda,
Tantas vezes eu aprendi,
Tantas aprenderei que tudo, tudo finda.

Tantas vezes a vida me dará,
Outra vez uma nova chance,
Tantas vezes vou aproveitar,
E mais uma vez irei um pouco mais distante.

Autor: Oziel Soares Albuquerque
www.ozielpoeta…

ATÉ QUANDO LAUDOS NOS COLOCARÃO LIMITES...

Até quando permitiremos que nos digam quem somos?
Até quando laudos nos colocarão limites?
Até quando para o mundo seremos quase gnomos?
Até quando sobre nós terão tantos palpites?

Até quando seremos dois?
O que vemos e o que eles veem em nós?
Até quando deixaremos pra depois,
Aquela tentativa de que escutem nossa voz?

Até quando nos dominará a ansiedade?
E o medo for nosso maior aliado?
Até quando nos exigirão buscar a felicidade?
Sem que nem eles a tenham encontrado?

Até quando nosso rosto assim tão belo,
Pra ser amado não será suficiente?
Até quando nos prenderão na mais alta torre do castelo?
E nos tratarão como um doente?

Até quando tomarei remédios,
Eles só me fazem piorar,
Eles só escondem esse meu tédio,
E minha vontade de sair pra não mais voltar.

Até quando essa tortura?
E toda essa cobrança?
Não! Não estou à beira da loucura,
E na verdade, eu já não sou mais uma criança...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

ESTAR AÍ, MAIS NADA...

Às vezes eu só preciso,
E o que quero é voltar pra casa,
Em silêncio, ao teu lado e no teu abraço ter abrigo,
Estar aí, mais nada.

Aqui fora às vezes é tão difícil,
E eu sei o quanto aguento,
Sou mais seguro que qualquer edifício,
Mas só você acalma meu tormento.

Aí é sempre tão seguro,
Nossa casa, que nem é nossa, é tão perfeita,
Sei que não são só os muros,
Sei que estou protegido, quando você ao meu lado deita.

Me espera, viu?
Voltarei sempre na mesma hora,
E se meu coração você não ouviu,
Ele disse: queria não ter que sair agora...

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/

P.S.: Está chegando, Tayra Furtado: 5 anos de casados...

COTIDIANO...

Estamos jogando nossas horas fora,
Nossa vida fora,
Trocamos amor por poucos centavos.
Vendemos nossa saúde para comprar remédio,
Vendemos a vida,
Para comprar a fuga da morte.
Estamos apressados para ir deixar nossos filhos na escola,
Queremos chegar cedo no trabalho,
Fugimos do trânsito,
Nossos ouvidos não querem ouvir mais música,
Querem o silêncio.
Tomamos tantos comprimidos que eles já nem fazem efeito.
Estamos jogando nossa vida fora,
Pois isso que fazemos não é viver.
Não tomamos mais banho de chuva para não adoecermos,
Mas fazemos hora exata e trabalhamos mais do que deveríamos,
Porque se adoecermos temos como pagar.
Pagaremos outra vida?
Outra chance?
A vida tem um botão para reiniciar?

Autor: Oziel Soares de Albuquerque
www.ozielpoeta.blogspot.com/